Intercâmbio: Por conta ou por agência?

Oi gente, como vão? Nesse post vou falar um pouco das alternativas de viagem e porque optei pelo intercâmbio através da agência ao invés de ir por conta própria.

Ele ficou um pouco grande mas ele ficaria incompleto e deixaria muita coisa de lado, caso o encurtasse. Então vamos lá!
Como já mencionei em outro post, decidi muito rapidamente realizar esse sonho. Quando vi já havia pago a entrada, assinado o contrato e estava com a data de embarque previamente marcada. A princípio pensei em fazê-lo por conta própria, mas achei válido considerar ir por uma agência.
Segue abaixo os itens que considerei importante avaliar, por se tratar da minha primeira viagem para fora do país ainda mais sozinha:

  Agência de intercâmbio Por conta própria
Parte financeiraAs agências conseguem muitas vezes preços e condições facilitadas para fechar o programa.É necessário ter uma parte do dinheiro em mãos, já que a maioria das escolas solicitam que o pagamento do curso seja à vista, assim como a parte de hospedagem, documentação, etc.
SegurançaA expertise da agência deixa o intercambista mais tranquilo em relação a experiência de morar no exterior.Nesse caso será você diretamente com as escolas, residências estudantis, providenciar documentos, tudo
Burocracia (visto, documentação, etc.)A agência se encarrega dessa parte, você não se preocupa com nadaAqui você é que terá que ir atrás para entender as regras, preencher formulários, verificar taxas, etc.
Seguro saúdeGeralmente elas já incluem o seguro saúde no programa, mas você tem a opção de contratar à parte, se for o caso.Você terá que contratar por conta. É importante verificar se o país em questão exige uma cobertura mínima para estudantes.

O programa escolhido para o intercâmbio foi a Irlanda, pelo preço, facilidade de visto, possibilidade de trabalho e custo de vida baixo. Além disso foi considera uma das 50 melhores cidades para estudantes, segundo uma matéria publicada no Portal Terra. Dublin é a capital e onde vou morar e estudar, e o país é lindo, com muita coisa para ver e fazer. Esses atributos têm atraído um número cada vez maior de estrangeiros, e brasileiros também. Vou cursar inglês geral por 25 semanas (aproximadamente 6 meses), meio-período, assim posso trabalhar parte do tempo. Eu sempre quis conhecer a Europa, Londres especificamente, e a Irlanda está do lado a menos de 2 horas! A viagem já está acontecendo na minha cabeça há meses, e estou muitíssimo feliz em poder realizar esse sonho e de poder dividir com vocês!
Os preços dos programas variam muito, então é bom garantir que a escola seja idônea e ofereça realmente uma experiência inesquecível, sem que você tenha que se descabelar para exigir aquilo que foi acordado no contrato. Se for fazer por conta, pesquise muito as escolas, os tipos de hospedagem, vistos, formulários e peça ajuda se necessário, pois a maioria dos contratos podem estar em outro idioma e se você não domina pode acabar levando uma coisa pela outra.
Em ambos os casos sugiro pesquisar, pesquisar e pesquisar. Por isso, entre em fóruns de redes sociais, sites das escolas, das agências, peça indicação para amigos, conhecidos e vasculhe mesmo. Se você assim como eu dá valor ao seu din din então todo cuidado é pouco. Afinal, ninguém quer passar por perrengues em meio a felicidade de estudar fora, certo?
Agora que você já sabe como fazer, deixa a preguiça de lado e mãos à obra!

Gostou do post? Compartilha! Quer saber mais ou esqueci de mencionar algo que você acha importante? Então comenta aí logo abaixo e divide conosco as suas dicas e experiências!

Até a próxima!